MDS doa 270 toneladas de leite em pó para Apaes do RS

O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) doou 270 toneladas de leite em pó para a Federação das Associações de Pais e Amigos do Excepcionais do Rio Grande do Sul (Feapaes/RS), nesta terça-feira (27), em Canoas (RS). A doação vai beneficiar 18 mil pessoas atendidas pelas 205 Apaes do Estado.

Durante o evento, foram entregues 80 toneladas de leite para 31 associações da região metropolitana de Porto Alegre. O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, e o secretário nacional de Segurança Alimentar do MDS, Caio Rocha, participaram da cerimônia.

Terra destacou que a doação fecha um ciclo que beneficia as pessoas atendidas pelas Apaes e os agricultores familiares, que enfrentavam uma crise e tiveram a produção de leite adquirida por um preço justo.

“Investimos R$ 15 milhões na compra do leite em pó para dar um alento ao pequeno produtor, que sofria com o excesso de leite do Uruguai. Ao mesmo tempo, vamos levar esse produto para a área social, para quem mais precisa”, ressaltou o ministro.

As prefeituras ficarão encarregadas pelo transporte do leite dos armazéns da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) até as associações. O presidente da Feapaes, Afonso Tochetto, destacou que o leite em pó será suficiente para a alimentação das crianças até dezembro deste ano. A doação, defendeu, é um importante apoio ao processo educacional e de atendimento às famílias.

“Isso veio nos ajudar muito, porque é um investimento a menos que a Apae vai fazer. Temos que agradecer ao ministro e, inclusive, vamos propor a viabilidade dessa doação ser permanente”.

Compra direta – O leite em pó doado pelo MDS foi adquirido no final do ano passado na modalidade Compra Direta do PAA. Ao todo, foram investidos R$ 15 milhões para a compra de mil toneladas do produto. A ação beneficiou os agricultores familiares que sofriam com preços baixos causados pela importação excessiva de leite do Uruguai.

Além das doações para as Apaes, o produto também será distribuído para pessoas atendidas pelas redes socioassistencial e de ensino (pública e filantrópica), além de restaurantes populares e bancos de alimentos. O leite também vai compor as cestas de alimentos destinadas a indígenas e quilombolas.

 

da Ascom/MDS

Comentários no Facebook