Alunos concluem curso de Cabeleireiro e já querem montar o próprio negócio

Cabeleireiros comemoram recebimento de certificados

“Já montei um salãozinho na minha casa e os meus vizinhos são os meus estagiários de cabelo aos domingos”, disse Josenildo Pereira de Lima, 53 anos, um dos concluintes do curso de Cabeleireiro da AAFETO, durante entrega de certificados na noite desta quinta-feira, 12, no Aureny II.

O curso proporcionou a Josenildo uma forma extra de ganhar dinheiro e também de  superação. Há sete meses ele perdeu o dedo polegar da mão esquerda, o membro é justamente o que serve para encaixar o pente na hora do corte “tive que sair da zona de conforto e habituar a usar o pente entre os dedos indicador e anular”, disse emocionado.

Bárbara Jaqueline, 22 anos, também está feliz com a nossa profissão que segundo ela “é um dom”.  Como manicure, desde os 16 anos ela convive com profissionais em ambientes de estética “mas assistir um colega é diferente de fazermos o trabalho”, observou.

O colega de curso, Douglas Morais de 21 anos, começou a trabalhar na barbearia do tio há três meses, no período em que iniciou o curso. Só que agora sonha em montar o próprio negócio. Para ele, o curso foi bem desafiador. “Temos a ideia que cortar cabelo de mulher é difícil, não é; os de homens são bem complicados. No começo dava um medo”, justificou.

As dificuldades de Douglas e mais 26 colegas foram sanadas pelo instrutor, Odilon Marinho Botelho, que durante os três meses, com aulas de segunda a quinta-feira, das 19h às 22h, repassou técnicas de corte, química e tendências aos participantes. “A parte prática foi feita com ações que fizemos na comunidade, totalizando quase 100 atendimentos”, informou.

Presente no encerramento, a Secretária do Trabalho e Assistência Social (Setas), Patrícia do Amaral reforçou a importância desses profissionais no mercado, uma vez que os mesmos poderão executar outras atividades e ter mais esta como um ganho extra, caso não queiram seguir a carreira de cabeleireiro. “Esse é o objetivo dos cursos da AAFETO: impulsionar a geração de renda. Não dar o peixe, mas ensinar a pescar. Porque foi com essa finalidade que a nossa primeira-dama Dulce Miranda criou a AAFETO há quase 10 anos”, disse.

AAFETO

A AAFETO oferece diversos cursos para a comunidade de Palmas em três núcleos, sendo dois na região Sul e um na Norte. Os mesmos são gratuitos. Os cursos de corte de cabelo por exemplo, em um ano atenderam cerca de 600 pessoas com cortes de cabelo gratuitos.

da Ascom/Setas

 

Comentários no Facebook