Setembro Amarelo Mês do Combate ao Suicídio

face

 

Desde setembro de 2015, edifícios públicos e privados, monumentos e pontos turísticos de várias cidades brasileiras, recebem uma iluminação especial, com a cor amarela. Trata-se da campanha mundial de combate ao suicídio, o “Setembro Amarelo”. Nesses trinta dias, outras ações também são realizadas, como caminhadas, passeios ciclísticos, palestras, distribuição de folhetos e atendimentos em locais de grande circulação de pessoas.

A intenção da campanha é dar visibilidade a esse grave problema de saúde pública, e conscientizar a população sobre formas de evitar a morte precoce.

Tanto a morte, e principalmente o suicídio, não são assuntos que a sociedade discute com facilidade. Há muito tabu e preconceito em relação a esses assuntos. Mas os números indicam o quão é importante debater e compartilhar as informações sobre as formas de prevenção, e conscientizar as famílias de que todas estão sujeitas a vivenciar essa situação.

Segundo o Centro de Valorização da Vida (CVV), 32 brasileiros morrem por dia vítimas de suicídio. No mundo, a cada 40 segundos, uma pessoa perde a vida dessa forma, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo o suicídio, a segunda principal causa de morte entre as pessoas com idade entre 15 e 29 anos.

Levantamento do Ministério da Saúde, aponta que as mulheres tentam mais suicídio que os homens. Para a OMS, 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos com a ajuda voluntária ou profissional.

No Brasil, o “Setembro Amarelo” foi criado pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com a proposta de associar à cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, em 10 de setembro.

A cor amarela, segundo o CVV, representa a vida, a luz e o sol, simbolismo que reflete a proposta da campanha de preservar a vida.

É fundamental que toda a sociedade faça parte dessa causa, seja participando das ações realizadas durante o “Setembro Amarelo” ou apenas usando uma roupa amarela ou um laço amarelo no peito. Atitudes simples que podem despertar atenção para um problema muito sério.

A campanha também busca promover a saúde mental e dar destaque a centros que oferecem ajuda a quem precisa, como é o caso do CVV, instituição sem fins lucrativos que oferece apoio emocional e atua na prevenção do suicídio. Qualquer pessoa que sinta necessidade de conversar, pode ligar para o número 188 ou acessar o chat no site da CVV. O telefone e o chat funcionam 24 horas por dia, em todos os dias da semana.

O CVV também disponibiliza uma série de vídeos para se prevenir o suicídio entre jovens e adolescentes, faixa etária em que mais cresceram os índices de suicídio no país. É uma forma de oferecer a todos, uma oportunidade de se engajar na causa e se capacitar para identificar sinais, pedir e oferecer ajuda. Os vídeos estão disponíveis no YouTube (https://bit.ly/2lUgIWf) e para download no site do CVV.

Link para o site do CVV: https://www.cvv.org.br/

Comentários no Facebook