Municípios do Rio de Janeiro participam de Oficina de Capacitação do Censo SUAS 2012

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (Seasdh), por meio da Subsecretaria de Assistência Social e Descentralização da Gestão, realiza até sexta-feira (28), o primeiro dia da II Oficina Estadual de Capacitação do Censo SUAS – Ano 2012. O encontro que teve início nesta quarta-feira (26), sediado no auditório da SEASDH, reúne cerca de 60 técnicos e gestores da assistência social de 25 municípios do Rio de Janeiro.

O objetivo do curso é apoiar as práticas de registro, monitoramento e avaliação no âmbito do SUAS, socializando informações que auxiliem as secretarias e conselhos municipais de Assistência Social no preenchimento dos questionários do Censo SUAS 2012.O evento faz parte do Programa Estadual de Capacitação e Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e compõe a agenda de capacitações para o ano de 2012, com a participação de todos os municípios do estado.

De acordo com a subsecretária de Assistência Social e Descentralização da Gestão, Nelma Azeredo, o Censo/SUAS permite monitorar o desenvolvimento e a implementação da política de assistência social nos 92 municípios. Ele existe nos 27 estados e 5.500 municípios brasileiros.

“A preocupação do Estado é capacitar os técnicos municipais porque é a partir do preenchimento correto dessas informações do censo que a gente opera no planejamento, na correção dos equívocos observados, porque ali a gente identifica a equipe completa e até se o CRAS tem rampa para garantir a acessibilidade”, afirmou a subsecretária Nelma Azeredo.

Ela disse ainda que o Censo é uma ferramenta fundamental para o planejamento, monitoramento, avaliação e a própria vigilância social. “Esse Censo é anual e todo ano a gente capacita os municípios para isso, porque todo ano essa ferramenta é alterada, atualizada. Ainda existe um número significativo de equívocos de preenchimento, mesmo a gente capacitando, porque na hora de preencher há questões que permitem diversas interpretações. Além de capacitar a gente tentar criar com os municípios um consenso de interpretações e também conversa com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) para corrigir essas questões”, explicou a subsecretária Nelma Azeredo.

O Censo SUAS é um sistema nacional de coleta de informações da política de Assistência Social, realizado anualmente, por meio do sistema eletrônico disponibilizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. O seu preenchimento é de responsabilidade do gestor e conselho local.

O sistema agregará o levantamento de informações sobre a gestão estadual e municipal, das unidades públicas de referência da política de assistência social, Cras e Creas, dos centros POP, da Rede de Acolhimento de Alta complexidade e, ainda, dos conselhos municipais.

“A oficina foi muito bem desenvolvida, organizada e precisa. Todo encontro que venha acertar mais a nossa prática, bem como esse monitoramento do MDS, é sempre bem vindo. Esses encontros que favorecem o princípio de responsabilidade profissional, do fazer bem feito, soma muito para a política que a gente vive hoje”, avaliou a assessora especial de Proteção Social Básica de Belford Roxo, Vicencia Raposo.

A assistente social de Cabo Frio, Glauci Laurindo, também aprovou a realização da oficina. “Apesar da gente trabalhar com o Censo/SUAS há alguns anos, tem sempre alguma coisa que modifica e essa capacitação é extremamente importante, porque é através do censo que o Governo Federal pode avaliar o trabalho do estado, porque a prática dos municípios é que reflete a atuação do Estado na política de assistência social. O Censo é um documento sério que precisa ser preenchido de maneiro correta”, disse Glauci.

Etapas – Para melhor aproveitamento do aprendizado, a capacitação foi dividida em duas etapas. O primeiro grupo participou da oficina nesta quarta-feira, e um segundo grupo participará na próxima sexta-feira, dia 28 de setembro. Cada capacitação terá a duração de oito horas e, ao final, todos os participantes receberão certificado. Foram oferecidas cerca de trezentas vagas.

Os municípios que participaram da primeira oficina foram Aperibé, Barra Mansa, Belford Roxo, Cabo Frio, Cachoeiras de Macacu, Carapebus, Cardoso Moreira, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Laje do Muriaé, Pinheiral, Piraí, Porciúncula, Porto Real, Quissamã, Resende, Rio Bonito, Rio Claro, Rio das Flores, Rio das Ostras, São Fidélis, São João da Barra, São Pedro da Aldeia, Sapucaia e Sumidouro.

Ascom Seasdh

Comentários no Facebook