Multiplicadores aprendem na prática os cuidados na primeira infância

crianca

Quando a jovem Thauany  Mikaelle Barbosa, de 20 anos, deu à luz ao pequeno Rian Henrique – hoje com 4 meses – não imaginava todas as surpresas que estavam por vir. Rian nasceu com um problema neurológico. Ele foi encaminhado ao Hospital da Criança de Brasília, no Distrito Federal, para investigar e tratar a doença. Na última terça-feira (16), Thauany teve a ajuda dos multiplicadores do Criança Feliz, que estão em Brasília para a capacitação do programa.

“Acho muito importante aprender todas essas técnicas para os filhos ficarem mais próximos da gente e se desenvolverem mais. Eles me ensinaram a estimular o Rian para ele ficar mais calmo. Estimular o corpinho todo com os movimentos, sempre conversar e chamar pelo nome”, afirmou a mãe, que mora em Unaí (MG).

Como parte da capacitação, os multiplicadores estaduais visitaram o Hospital da Criança com o objetivo de aprender na prática os estímulos necessários para o desenvolvimento infantil. Por meio de brincadeiras e uso de utensílios simples, como copos, panelas, canecas e chocalhos, eles interagiram com as crianças e as famílias, orientando a melhor forma de incentivar os pequenos.

A assistente social do Rio de Janeiro Ana Lúcia Guimarães da Silva participou da atividade. “O mais interessante que notei foi a interação com a família. Cada uma reage de um jeito. Quando a gente chega, umas ficam mais apreensivas e outras são mais receptivas”, afirmou. Ela destacou ainda que o Criança Feliz vai se integrar com ações da assistência social que já são desenvolvidas no Estado.

O curso está sendo ministrado pela doutora Jane Ellen Lucas, da Universidade de Nova Iorque. Ela é a idealizadora da metodologia adotada pelo Criança Feliz,        o Care for Child Development (CCD) do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Com a visita, afirmou Jane, o grupo consegue aprender como é o processo de estimular a criança e o resultado de cada ação. “O mais importante é encontrar quais tipos de atividades irão estimular cada criança em cada ponto de sua infância”.

A diretora do Centro de Estudo e Pesquisa do hospital, Valdenize Tiziani, afirmou que a visita também foi um aprendizado para o hospital. Para ela, as técnicas apresentadas pela doutora Jane podem ser aplicadas nas famílias que estão na sala de espera. “Com o que a gente viu hoje, é possível fazer, em uma sala de espera, ações que possam ajudar essas famílias. Vamos tentar otimizar e, a partir dessa iniciativa, fazer melhor ainda.”

A capacitação segue até este sábado (20), com conteúdo didático e aplicação da metodologia Care for Child Development (CCD) do Unicef, práticas no Hospital da Criança e visitas às casas de famílias no Recanto das Emas, região administrativa no Distrito Federal.

Criança Feliz – Em todo o país, 2.547 municípios já aderiram ao programa. O Criança Feliz acompanhará crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Pesquisas mostram que crianças bem cuidadas chegam à escola com melhores condições de aprendizado, estudam mais, são menos violentas e têm melhores condições de vencer a pobreza.

da Ascom/MDSA

Comentários no Facebook