MDS garante apoio a municípios atingidos pelas chuvas em Pernambuco

“O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) está à disposição de vocês permanentemente. Nossos irmãos de Pernambuco precisam estar bem assistidos.” Palavras do ministro em exercício, Rômulo Paes de Sousa, em reunião com mais de 100 pessoas, na tarde desta terça-feira (29) em Palmares, cidade pernambucana parcialmente destruída pelas chuvas dos últimos dias. Participaram do encontro prefeitos, secretários e técnicos de 39 cidades em estado de emergência ou calamidade pública no Estado.

No encontro, o ministro em exercício perguntou se as cestas de alimentos estão chegando à população e se há meios para preparar comida nos abrigos e alojamentos – o MDS enviou 52 mil cestas para Pernambuco e 25 mil já foram distribuídas, incluindo doações de parceiros do Fome Zero. Os representantes dos municípios informaram que sim e que há poucos problemas para identificar os beneficiários do Bolsa Família, que estão recebendo o valor de junho antecipadamente.

Rômulo Paes e a secretária nacional de Assistência Social, Maria Luíza Rizzotti, explicaram como providenciar documentos para quem perdeu tudo na enchente e como os municípios devem fazer para acessar os recursos suplementares liberados pelo ministério – são R$ 4,3 milhões para os 39 municípios pernambucanos, que estarão à disposição a partir da próxima segunda-feira (5). O diretor da Secretaria Nacional de Assistência Social José Crus ficará em Recife nos próximos dias, integrando-se ao gabinete de crise do governo do Estado, para ajudar no que for preciso.

Depois do encontro, Rômulo Paes e o prefeito de Palmares, José Bartolomeu de Almeida Melo, visitaram a cidade de 60 mil habitantes, cujo acesso só é feito em veículos com tração 4×4. Nas ruas, tratores trabalham sem parar na re moção de lixo, móveis e lama. Muito do entulho retirado retornou com as fortes chuvas do fim de semana, e a previsão de mais chuva até sexta-feira impede que as famílias desalojadas voltem para casa.

A chamada Cidade Baixa ficou completamente destruída, com agências bancárias, postos do INSS e até uma praça submersos pela lama. Ao lado da Prefeitura, uma praça afundou e deu lugar a uma cratera, que engoliu uma carreta com 16 pneus e agora está cheia de água.

Texto/Foto: Roberta Caldo – ASCOM MDS

Comentários no Facebook