Mais Grafite usa arte para transformar estudantes em Pirajá

normal_1501269526img_6764
Cores, desenhos e atitude. No Colégio Estadual Cesare Casali, no bairro de Pirajá, em Salvador, estudantes tiveram a oportunidade de mergulhar no universo do grafite pela primeira vez nesta sexta-feira (28). As telas escolhidas foram as paredes e arquibancadas da quadra esportiva da escola. A oficina é mais uma ação do projeto Mais Grafite, que tem como objetivo central estimular a expressão artística de jovens e também sensibilizá-los para o cuidado com o ambiente escolar.
Aos 13 anos, Sâmara Muniz foi uma das estudantes engajadas em embelezar a escola. Ela dividiu um espaço com outras duas colegas e colocou ao olhar de todos o dom que possui. “Eu adoro pintar. Antes, eu desenhava no caderno e ficava com o desenho só para mim. Adorei poder mostrar o que eu sei para todo mundo”, afirma.
Desenvolvido pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), o Mais Grafite faz parte do Programa Educar para Transformar – Um Pacto pela Educação. O titular da SJDHDS, Carlos Martins, destaca que a linguagem artística liberta e garante o enfrentamento à violência.
“Sem dúvida, a arte é transformadora. Ela mostra que é possível tornar o ambiente escolar mais atrativo. Além disso, garante o sentimento de pertencimento, fazendo o jovem ter mais cuidado com a escola. O Mais Grafite dá voz a quem deseja se expressar e, sendo na escola, é melhor ainda. Afasta o jovem do caminho ruim, valorizando suas ideias e dando oportunidade”, ressalta Martins.
Já o coordenador de Políticas para a Juventude da SJDHDS, Jabes Soares, explica que a arte tem sido utilizada nas escolas como elemento de transformação e inclusão social. “O estudante passa a perceber que tem muito a contribuir com a comunidade escolar. Ele se sente incluso. Muitos jovens possuem talento para a arte e ninguém sabe. O Mais Grafite abre essa possibilidade, dando oportunidade para os alunos”.

Fonte: Secom/GOVBA

Comentários no Facebook