Fanfarra de colégio no Pelourinho recebe kit de instrumentos da SJDHDS

pelo
O Pelourinho foi o cenário da entrega de instrumentos aos alunos da Colégio Estadual Azevedo Fernandes. A fanfarra da unidade escolar foi uma das 35 escolhidas para receber o kit de 15 instrumentos de sopro distribuídos pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). O secretário Cezar Lisboa participou do ato de entrega e conversou com os estudantes sobre a iniciativa, acompanhado da assessora técnica responsável pelo projeto, Ana Vilas Boas, da representante da Secretaria de Educação (SEC), Néia Andrade, e da diretora da unidade, Eliana Teles dos Anjos.
Apesar da chuva, o grupo realizou uma pequena apresentação em frente ao colégio, localizado no Largo do Pelourinho. A unidade escolar, fundada em 1974, conta atualmente com mais de 600 alunos nos três turnos. Os membros da fanfarra, fundada em 1997 pelo Professor Grimaldo Bonfim, não esconderam a alegria por estarem sendo contemplados com o projeto. “Quem cola comigo todos os dias sabe que eu estou em estase aqui hoje. Fico muito feliz porque conseguimos os novos instrumentos, algo que vai beneficiar todos nós, e vamos poder ampliar ainda mais a nossa atuação e permitir a chegada de novos alunos”, afirmou o mestre da banda, Antônio Henrique.
O secretário Cezar Lisboa ressaltou a importância das políticas públicas relacionadas à música e voltadas à juventude. “Hoje os jovens estão mais conectados, com muito mais informação e conhecimento do que nós, por isso queremos que vocês usem desse conhecimento para atuar com a música”, disse. Caruso Costa, da Coordenação de Juventude da SJDHDS, reforçou a necessidade de oportunidades para mudar a vida dos jovens. “Isso aqui é mais do que a entrega de instrumentos: isso é política pública, isso é oportunidade. Vocês só dependem disso para ser o que vocês quiserem: oportunidade”, afirmou.
Presente na cerimônia, o maestro coordenador do Neojiba, Helder Passinho, conversou com os membros sobre a importância do cuidado e da preservação dos instrumentos, que podem durar anos, além de propor o desafio para que as fanfarras que receberam instrumentos participem de uma competição no Dois de Julho. O desafio foi prontamente aceito pelo maestro e pela banda.
da Ascom/SJDHds

Comentários no Facebook