Criança Feliz realiza ações para o desenvolvimento das crianças em Ponte Alta

As primeiras visitas domiciliares do Programa Criança Feliz (PCF) em Ponte Alta do Tocantins, município localizado a 170km de Palmas,  tiveram início na última quinta-feira, 17. Os atendimentos in loco foram realizados pela equipe, composta por quatro pessoas, entre coordenadora, supervisora e visitadoras e contaram com o acompanhamento do Comitê Gestor Estadual. A intenção é fazer com que as crianças cheguem à escola com melhores condições de aprendizado e tenham mais chances de vencer a pobreza.

A técnica do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Roberta Sousa, também está acompanhando as primeiras visitas domiciliares do PCF no Estado e explicou que o Programa visa ao desenvolvimento integral na primeira infância. “As ações se concentram em visitas semanais a crianças beneficiárias do Programa e mensais com as gestantes. Nos encontros, os visitadores repassam às famílias as informações sobre como estimular o desenvolvimento dos filhos; o visitador vai trabalhar com a família para ela trabalhar a criança”, afirmou.

Já a secretária municipal de Assistência Social de Ponte Alta, Rosana Faria, define o Programa como desafiador. “É gratificante saber que o município aderiu a esse programa que ajudará a população mais carente. É mais um fortalecimento das políticas públicas e o Sistema Único da Assistência Social (SUAS) estará executando seu papel. A equipe está muito focada e pretendemos desenvolver um bom trabalho aqui, realizando as dinâmicas e acompanhando as famílias beneficiárias”, pontuou.

Para a assistente social da Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas) e multiplicadora do Comitê Gestor do PCF no Tocantins, Lohany Burjack, o Programa será responsável por grandes transformações sociais. “O Criança Feliz trabalha na base da família e da pessoa: a primeira infância. O programa vai fortalecer o cuidado com a criança, possibilitando que ela tenha uma chance de transformar a sua vida e de estabelecer um diferencial lá na frente”, disse.

Visita domiciliar
Em uma das casas que receberam as equipes, foi possível presenciar a felicidade da pequena Sofia, de um ano e nove meses, quando os pais, Eliete Moura e Gustavo Reis, sentaram no chão e começaram a brincar com pequena de empilhamento de peças. “Agora eu aprendi que posso aproveitar horários na rotina de cuidados para brincar e interagir com a minha bebê”, disse o pai.

Como a criança tem o dobro de conexões cerebrais que um adulto, é nesse momento que os principais vínculos afetivos são estabelecidos e, para a visitadora Silvana Sagio, essa é a principal função do Programa. “Nosso trabalho é orientar aos pais a importância de interagir, brincar e observar o comportamento da criança, porque as ações na primeira infância se refletem na vida inteira”, defendeu.

Sobre o Programa
O Programa Criança Feliz tem como foco o desenvolvimento integral das crianças brasileiras, principalmente daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social. O principal objetivo é assegurar as condições para que elas se desenvolvam seu pleno potencial. Para isso, há uma estratégia de visitação domiciliar que visa atender famílias com crianças até 3 anos de idade. No caso de crianças em situação de extrema pobreza ou necessidades especiais, o apoio se estende até os 6 anos de idade.

A visita domiciliar ocupa o eixo principal do Programa. “Acreditamos que investindo na primeira infância vamos conseguir uma sociedade mais solidária e com pessoas habilitadas e capazes. Todos os multiplicadores e visitadores acreditam nessa causa”, disse a técnica da Gerência de Apoio aos Municípios e integrante do Comitê Gestor Estadual do PCF, Fernanda Cerqueira, que participou das visitas in loco.

É importante destacar que o Criança Feliz não atua exclusivamente com as crianças, mas oferece apoio abrangente para toda família, desde a gestação.

Comentários no Facebook