Bolsa Família tem maior corte da história

bolsinha

Houve uma redução do número de beneficiários pagos pelo Bolsa Família em julho, em relação ao mês anterior. Foi a maior redução em relação a um mês anterior desde o lançamento do programa, em 2003. O número de benefícios encolheu em 543 mil famílias, segundo matéria publicada no site Uol.

 

Ao todo, o programa pagou 12.740.640 famílias em julho. O número de bolsas pagas foi o menor desde julho de 2010, quando foram pagas 12.582.844 bolsas. Se compararmos julho de 2014 com o mesmo mês de 2017, houve uma redução de 1,5 milhão de bolsas pagas.

Mesmo com os cortes, ainda há mais de meio milhão de famílias na lista de espera para ingressar no programa, sem previsão. O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário culpou a política econômica do governo Dilma Rousseff (2011-16) pela redução.

Até então, o maior corte tinha ocorrido entre os meses de janeiro e fevereiro de 2013, após o fim de um recadastramento do governo federal. Naquela ocasião, houve 278 mil benefícios pagos a menos.

Quando foi lançado, em 2003, o programa atendia 3,6 milhões de famílias –a maioria já recebia benefícios menores que foram extintos, como o Bolsa Alimentação, o Vale Gás e o Bolsa Escola.

A ex-presidenta Dilma Rousseff classificou como “estarrecedor” o corte de 1,2 milhão de famílias do programa Bolsa Família sob a gestão de Michel Temer. “É estarrecedor que depois de liberar dinheiro a deputados para arquivar uma denúncia contra si e de gastar R$ 14 bilhões para atender a interesses escusos, além de criar o bolsa-ruralista, o governo golpista de Michel Temer decida reduzir os programas sociais. Justamente o Bolsa Família que protege as famílias brasileiras mais pobres”.

 

As informações são de reportagem de Carlos Madeiro no UOL.

Comentários no Facebook