BH sedia Seminário Estadual de Formação da Economia Popular Solidária

Em Minas Gerais existem 1.504 empreendimentos da economia solidária, com atuação nos segmentos de artesanato, agricultura familiar, alimentação, serviços, confecção, catadores de material reciclável, cultura, cosméticos, crédito e psicultura. Segundo a Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego, o estado responde por 15% do mercado brasileiro de economia solidária.

A Economia Solidária é uma estratégia de estímulo ao comércio de pequenos produtores, que têm a oportunidade de garantir trabalho e renda a partir da exposição e comercialização de seus produtos em feiras livres.

A secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, em parceria com o Conselho Estadual de Economia Solidária e Fórum Mineiro de Economia Solidária, desenvolve e implementa a política pública da área. Entre as ações previstas está a realização de 10 feiras regionais. A primeira já aconteceu no último final de semana (3 e 4 de março), em Ouro Preto, e uma estadual, marcada para os dias 8,9 e 10 de junho, em Belo Horizonte.

Além de incentivar a comercialização direta dos produtos, a feira é espaço de promoção de negócios, fomento, formação e informação, visando à sustentabilidade dos empreendimentos. É uma ação que consolida a política estadual de economia solidária e de enfrentamento à pobreza no campo e de fortalecimento do diálogo com os movimentos sociais.

Serão realizadas feiras em Governador Valadares (17 e 18/03), Passos (31/03 e 1º/04), Paracatu (21 e 22/04), Uberlândia (30/04 e 1º/05), Juiz de Fora (11 e 12/05), Januária (18 e 19/05), João Monlevade (02 e 03/06), Teófilo Otoni (16 e 17/06) e Diamantina (06 e 07/07), além da Feira Estadual de Economia Popular Solidária marcada para os dias 8, 9 e 10 de junho, em Belo Horizonte.

Além do investimento na comercialização, a Sedese deu início ao ciclo de formação de empreendedores com o Seminário de abertura do Projeto de Formação em Economia Popular Solidária, no último sábado (10), em Belo Horizonte.

“O seminário abrirá o Ciclo do Projeto de Formação em Economia Popular Solidária, com temáticas que orientarão as etapas posteriores – oficina de planejamento com os educadores populares, 44 oficinas e o seminário estadual de avaliação”, explica a superintendente de Políticas de Empreendedorismo e Economia Popular Solidária, da Sedese, Léa Braga.

da Ascom/Sedese

 

Comentários no Facebook