Autoridades debatem a criação de uma rede para proteção da pessoa idosa

A necessidade de criar uma rede de defesa e proteção à pessoa idosa no Rio Grande do Sul é tema de um evento hoje, no Palácio da Justiça, em Porto Alegre. Promovido pelo Poder Judiciário, o encontro reúne autoridades e profissionais que trabalham no setor e marca o Dia Internacional da Pessoa Idosa, comemorado domingo, dia 01/10.

A Secretária do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori, foi uma das palestrantes da abertura. Ela destacou a relevância do tema em um Estado que tem 18 das 20 cidades com o maior número de idosos do país, segundo dados do IBGE. Maria Helena falou da importância de investir cada vez mais na prevenção, para evitar situações de abandono e violência física contra os mais velhos.

Segundo ela, uma sociedade que respeita e cuida dos idosos não surge de uma hora para a outra. “É uma semente que devemos plantar lá infância, para que nossas crianças virem jovens e adultos com essa consciência. Hoje, infelizmente, as estatísticas mostram que, quase sempre, as agressões partem de pessoas próximas aos mais velhos. Precisamos nos perguntar: qual a responsabilidade de cada um nessa rede de proteção? Isso envolve as famílias, a assistência social, a saúde, a segurança pública, o ministério público, a justiça, só para citar alguns exemplos”, disse.

Nesse sentido, Maria Helena citou programas estaduais de grande abrangência, como o Primeira Infância Melhor (PIM) e as Cipaves (Comissões Internas de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar), que estimulam, respectivamente, os vínculos familiares e a cultura da paz.

A Corregedora-Geral de Justiça, Desembargadora Íris Helena Medeiros, lembrou que o Estatuto do Idoso completou 14 anos ontem. “Temos os direitos assegurados por lei, mas precisamos, enquanto sociedade, conseguir transformá-los em realidade de fato. Temos que criar a cultura de olhar mais para as pessoas idosas, assim como já aprendemos a olhar para as crianças e os adolescentes”, disse.

Integrantes do Grupo Sesc Maturidade Ativa dançaram antes das palestras. Segundo o IBGE, os idosos representem mais de 15% da população gaúcha. É acima da média nacional, que fica em torno de 10%.

 

da Ascom/SDSTJDH

Comentários no Facebook